Aumentar fonte:

Janeiro tem número recorde de investidores cadastrados no Tesouro Direto

Número de operações até R$ 1 mil também atinge o máximo histórico, o que mostra maior acesso dos pequenos investidores ao Programa

 

Em janeiro, foram realizadas 212.410 operações de investimento no Tesouro Direto, no valor total de R$ 1,761 bilhão. O número de operações de compra de títulos do programa é o terceiro maior desde 2002, sendo superado apenas por janeiro (221.316) e maio (221.005) de 2017.

O mês passado foi marcado, no entanto, por vencimentos de R$ 1,984 bilhão, o segundo maior volume da série histórica, iniciada em 2002, atrás apenas dos R$ 2,788 bilhões em vencimentos registrados em maio de 2015. O volume de recompras foi de R$ 1,444 bilhão em janeiro, em linha com um movimento registrado nos últimos meses.

Influenciados pelos vencimentos e pelas recompras, os resgates totais somaram R$ 3,429 bilhões, resultando em um resgate líquido de R$ 1,668 bilhão, e o estoque do programa fechou o mês em R$ 47,239 bilhões, uma redução de 2,6% com relação ao mês anterior (R$ 48,5 bilhões) e aumento de 13,3% comparado a janeiro de 2017 (R$41,7 bilhões).

Os resultados de janeiro de 2018 mostram, contudo, a continuidade do processo de democratização do acesso do Tesouro Direto aos pequenos investidores. O número de aplicações de até R$ 1 mil foi de 119.076, novo recorde da série histórica, iniciada em janeiro de 2009, representando 56,1% dos investimentos realizados. O número de novos investidores que se cadastraram no programa foi recorde (82.568) e 6.424 novos investidores tornaram-se ativos (que efetivamente possuem aplicação). Com isso, a base de investidores cadastrados atingiu recorde de 1,915 milhão e o total de investidores ativos também foi o maior da série, com 572.182 pessoas.

O título mais demandado pelos investidores foi o indexado à taxa Selic (Tesouro Selic), com R$726,0 milhões, representando 41,2% das vendas. Em seguida, as vendas de títulos indexados à inflação (Tesouro IPCA+ e Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais) somaram R$ 558,4 milhões e corresponderam a 33,4% do total enquanto as de prefixados (Tesouro Prefixado e Tesouro Prefixado com Juros Semestrais), totalizaram R$ 446,44 milhões ou 25,4%. Nas recompras, predominaram os títulos indexados a índices de preços, totalizando R$ 772,6 milhões (53,5%), seguidas por R$ 463,5 milhões (32,1%) em Tesouro Selic e R$ 208,6 milhões (14,4%) em prefixados.

Em relação ao prazo, as aplicações em títulos com vencimento entre 1 e 5 anos representaram 22,6% e as com prazo entre 5 e 10 anos, 61,4% do total. 16% dos investimentos foram feitos em títulos com vencimentos acima de 10 anos.

 

Composição do Estoque

Em janeiro, os títulos remunerados por índices de preços totalizaram R$ 29,2 bilhões do estoque do programa, sendo os mais representativos (61,9% do total). Na sequência, vêm os títulos indexados à taxa Selic, com participação de 24,4%, e os títulos prefixados, com 13,6%.

Com relação à maturação, a parcela com vencimento em até 1 ano fechou o mês em (2,3%) enquanto o do estoque vincendo de 1 a 5 anos foi de 46% e o percentual acima de 5 anos somou 51,7%.

O balanço completo do Tesouro Direto está disponível em https://www.tesouro.fazenda.gov.br/pt/balanco-e-estatisticas.